Paula Litaiff

Sinpol tem contas bloqueadas e carros penhorados por dívida com plano de saúde

Sede do Sinpol em Manaus (Reprodução)
Ívina Garcia – Da Revista Cenarium

MANAUS – O Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil do Estado do Amazonas (Sinpol) teve as contas bloqueadas pela Justiça após decisão desfavorável em processo movido pela operadora de saúde Unimed, por não pagamentos de dívidas de plano de saúde.

O processo obtido pela REVISTA CENARIUM mostra o bloqueio de R$ 1.388.015,28 das contas do Sinpol e a penhora de três veículos do sindicato, além da penhora de 40% da receita mensal da associação. O que pode representar o corte nos benefícios oferecidos pela corporação aos registrados.

Dívida do Sinpol chega a R$ 1,3 milhão (Reprodução)

A ação partiu de uma dívida com a Unimed, no valor de R$ 2,7 milhões, que foi questionada pelo Sinpol por uma manobra jurídica, que tentou a reconvenção do processo. O Sinpol perdeu em primeira instância e, ao recorrer, o juiz entendeu que ambas estavam erradas e decidiu que os dois deveriam pagar honorários de sucumbência.

Penhora do valor de 40% da receita mensal do sindicato (Reprodução)

Os honorários de sucumbência são o pagamento feito pelo perdedor do processo aos advogados do vencedor. No caso em questão, tanto a Unimed quanto o Sinpol devem pagar os honorários. Para a corporação, foi atribuído o valor de R$ 900 mil, que com o não pagamento até o momento chegam aos R$ 1.388.015,28 bloqueados da conta.

Denúncia

Conforme denunciou o investigador de polícia Daniel Lima, os sindicalizados não foram avisados sobre a dívida e não houve chamada pública para assembleia deliberativa. “É uma situação muito preocupante, é um valor exorbitante”, relatou Daniel, que afirma que o Sinpol não concedeu acesso ao processo. “Esse processo já está em fase de execução, então esse R$ 1,3 milhão precisam ser pagos“.

Veículos penhorados (Reprodução)

Daniel ainda relata que a Unimed recorreu em instâncias maiores e a dívida da associação pode chegar a R$ 2,7 milhões e se não forem quitadas, as cobranças podem levar à penhora da sede do sindicato, localizada no bairro Petrópolis, zona Sul de Manaus.

O assunto é sério, temos que tratar com responsabilidade, isso não deveria ter sido escondido da nossa categoria. Até o plano de saúde, quem tem o plano pelo Sinpol corre o risco de ficar sem o plano“, afirmou.

Veja vídeo:

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.