Paula Litaiff

Partido Rede pede fiscalização de crianças em manifestos de extrema-direita; denúncia foi apurada pela CENARIUM

À esquerda, imagens de crianças durante movimento integralista (Revista Anauê). À direita, crianças em protestos antidemocráticos em Manaus (Ricardo Oliveira/Revista Cenarium)
Ívina Garcia – Da Revista Cenarium

MANAUS – Após a REVISTA CENARIUM mostrar crianças em atos antidemocráticos em frente ao Comando Militar da Amazônia (CMA), na terça-feira, 8, o partido Rede Sustentabilidade encaminhou ao Conselho Tutelar pedido de providências sobre a “situação desumana a que estão sendo submetidas as crianças pelos pais e responsáveis”.

O documento usa como prova as imagens capturadas pelo fotojornalista da REVISTA CENARIUM, Ricardo Oliveira, que mostra crianças dormindo sob sol, em lençóis estendidos no chão e em papelões. A reportagem mostrou, ainda, que algumas crianças dormiam em barracas sem supervisão de adultos.

Imagens anexadas no pedido do partido Rede Sustentabilidade são de reportagem da Revista Cenarium (Ricardo Oliveira/Revista Cenarium)

Assinado pelo presidente municipal da Rede, Luiz Claudio dos Santos Corrêa, o pedido pontua as medidas que devem ser tomadas pelo Conselho Tutelar em casos de omissão, falta ou abuso praticado por pais e responsáveis, tipificado no art. 98, parágrafo II do Estatuto da Criança e do Adolescente.

Cabe ao Conselho Tutelar […] zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente, verificar e fiscalizar a situação de perigo e desconforto a que estão submetidas as crianças e adolescente que são levadas pelos responsáveis até o local do manifesto, desprovido de condições de higiene, descaso e alimentação“, escreve o presidente.

Na terça-feira, 8, a REVISTA CENARIUM entrou em contato com o coordenador do Conselho Tutelar da Zona Oeste, Nilson Matos, que alegou não ter sido comunicado a respeito das condições do local onde as crianças estão sendo mantidas na manifestação e que é preciso realizar uma reunião com todos os coordenadores, de todas as zonas, já que, segundo ele, apesar dos protestos serem na zona Oeste, “é algo que está mobilizando Manaus toda”.

A reportagem também questionou a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc) sobre quais intervenções serão feitas para garantir a segurança e proteção das crianças na manifestação. O órgão afirmou que os pais “devem ter consciência da situação que estão impondo aos filhos”.

Leia a íntegra do pedido:

Integralismo

Em outras imagens capturadas pela reportagem, crianças aparecem fardadas como membros das Forças Armadas e lembram o Movimento Integralista Brasileiro, surgido no Brasil na década de 1930, influenciado pelos ideais e práticas fascistas, mencionado no artigo “A Construção da Mitologia Integralista por meio da iconografia da Revista “Anauê” (1935-1937)”, de Caio Cézar Gabriel, especializado em História do Brasil pela UnP.

No artigo, o historiador lembra que crianças eram utilizadas como imagens do que viria a ser o futuro do País. “As crianças ‘participantes’ do movimento eram, em geral, representadas como o pilar principal de um projeto de construção do futuro nacional, ou seja, o homem integralista”, pontua.

“Essas fotografias de crianças são colocadas de forma a se preconizar a ideia de que a construção do perfeito militante seria iniciada a partir da criança, sendo ela não uma figura infantil qualquer, e sim a criança integralista. Ao mesmo tempo, essa mesma criança, seria uma síntese desse indivíduo perfeito para a construção do Estado Integral”, escreve o pesquisador no artigo. Leia na íntegra clicando aqui.

À esquerda, imagens de crianças durante movimento integralista (Revista Anauê). À direita, crianças em protestos antidemocráticos em Manaus (Ricardo Oliveira/Revista Cenarium)
A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)