Paula Litaiff

Dor incalculável! AM chega a mais de 10 mil mortos por Covid-19 desde o início da pandemia

Vista aérea de valas comuns sendo construídas em Manaus, capital do Amazonas - (Michael Dantas/AFP)

Gabriel Abreu – Para Revista Cenarium

MANAUS – Onze meses depois do primeiro óbito por Covid-19 no Amazonas, o Estado registrou nesta terça-feira, 16, a triste marca de mais de 10 mil mortos em decorrência do novo coronavírus. O Amazonas é o nono estado do País como o maior número de vítimas fatais pela doença.

A primeira morte foi no dia 24 de março de 2020. A vítima foi um paciente transferido de Parintins (distante 369 quilômetros da capital) para Manaus. O homem faleceu por complicações da doença.

Na capital, de acordo com dados da Prefeitura de Manaus, nessa segunda-feira, 15, foram registrados 53 sepultamentos por Covid-19. O boletim acrescenta ainda que 34.380 pessoas com diagnóstico de Covid-19 estão sendo acompanhadas pelas secretarias municipais de saúde, o que corresponde a 11,55% dos casos confirmados ativos.

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) divulgou que nas últimas 24 horas foram registrados 1.808 novos casos de Covid-19, totalizando 297.687 casos da doença no Estado. Apesar de uma leve baixa, os números ainda são considerados elevados.

Com os dados registrados nesta terça-feira, 16, o Amazonas só fica atrás de oito estados dos 27 brasileiros em número de mortes por Covid-19, são eles por ordem crescente de óbitos: Pernambuco (10.711), Roraima (10.842), Ceará (10.850), Bahia (10.846), Rio Grande do Sul (11.401), Minas Gerais (16.903), Rio de Janeiro (31.630) e São Paulo, com 56.702 mortes causadas pela doença.

Rede de Assistência

Entre os casos confirmados de Covid-19 no Amazonas, há 1.643 pacientes internados, sendo 1.024 em leitos (217 na rede privada e 807 na rede pública), 562 em UTI (233 na rede privada e 329 na rede pública) e 57 em sala vermelha, estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde.

Há ainda outros 310 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 211 estão em leitos clínicos (60 na rede privada e 151 na rede pública), 76 estão em UTI (47 na rede privada e 29 na rede pública) e 23 em sala vermelha.

Boletim diário

O boletim diário é construído com as informações disponibilizadas diariamente pelas prefeituras municipais, todos os dias da semana, incluindo fins de semana e feriados.

A consolidação dos casos notificados no Amazonas é realizada pela FVS-AM a partir de informações obtidas em três sistemas: e-SUS Notifica, Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) e o Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), até as 10h de cada dia. Em Manaus, foram notificados 372.914 casos, enquanto no interior do Estado, o número chega a 353.257.

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)