Paula Litaiff

Chefe do MP-AM promete apertar cerco contra gestores: ‘Estamos trabalhando para ampliar fiscalização’

O procurador-geral de Justiça, Alberto Nascimento, concedeu entrevista na sede da CENARIUM (Ricardo Oliveira/ Revista Cenarium)

Paula Litaiff e Victória Sales – Da Revista Cenarium

MANAUS – “As promotorias estão ainda mais independentes e a nossa missão é trabalhar para ampliar a estrutura de fiscalização”, declarou o procurador-geral de Justiça, Alberto Nascimento Júnior, responsável pela administração do Ministério Público do Amazonas (MP-AM) no biênio de 2020 a 2022.

Em visita à sede da REVISTA CENARIUM, Nascimento, conhecido por ser um dos integrantes da Força Tarefa no “Caso Wallace” (2009-2010), disse que a sua experiência em investigações criminais e administrativas, principalmente, no interior do Amazonas, lhe dão condições para avaliar a conjuntura de atuação dos membros do Ministério Público.

“Com dois meses à frente da Procuradoria-Geral de Justiça do Amazonas, eu e minha equipe avaliamos as necessidades prioritárias do Ministério Público e analisamos a convocação de 15 a 20 promotores para as cidades do interior”, disse. Hoje, 51 promotores trabalham para dar conta de 72 promotorias. “Está muito sobrecarregado para os colegas”, completa.

Alberto Nascimento falou sobre a ampliação das promotorias no interior do Amazonas (Ricardo Oliveira/Revista Cenarium)

Natural de Itacoatiara, Alberto é formado em Direito pela pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e, após ingressar no MPE-AM, em 1996, atuou nas Promotorias de Justiça das comarcas de Benjamin Constant, Anori, Urucurituba, Beruri, Codajás, Careiro, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Içá e Rio Preto da Eva.

Crime organizado

O procurador-geral de Justiça informou que uma de suas marcas de gestão será o fortalecimento do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), um departamento que atua em parceria com todas as promotorias especializadas.

“Iremos fortalecer o Gaeco e estamos reestruturando esse núcleo fundamental e sensível para a instituição. Vamos reaparelhar o setor e buscar ferramentas mais evoluídas e de ponta. Ao mesmo tempo, estamos incluindo quatro promotores de justiça, para que tenhamos uma ação mais efetiva, célere e que possa, inclusive dar capilaridade para ações em todo o Amazonas”, disse Alberto.

Participação popular

Alberto Nascimento enfatizou ainda a importância da população contribuir com o Ministério Público por meio de denúncias anônimas ou não, acompanhando a conduta de seus representantes com mandato eletivo, responsáveis pela nomeação de gestores públicos.

 “Além do combate a corrupção, iremos trabalhar com ênfase no combate a má gestão. Por isso que pedimos para que a população nos informe e por meio disso, ela também queira saber como está sendo aplicado os recursos repassados as gestões”, concluiu.

Sede do Ministério Público do Amazonas em Manaus (Assessoria de Imprensa/MP-AM)

Atualmente, o Ministério Público do Amazonas possui pelo menos quatro meios de acesso ao cidadão para formalização de denúncias. Pelo telefone 0800-0920500, pelo WhatsApp (92) 3655-0745, registrando um formulário no site da instituição (https://www.mpam.mp.br/) ou indo à sede do MP-AM, na Avenida, Coronel Teixeira, No. 7995, no bairro Nova Esperança, na zona Oeste de Manaus.

“A sociedade deposita em nós a esperança de dias melhores, de combate à corrupção, de defesa dos direitos humanos, de busca de melhores serviços públicos como forma de assegurar a estabilidade de nossa democracia. Buscamos cumprir essa missão da forma mais transparente possível”, finalizou Alberto Nascimento.

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)