Paula Litaiff
#Factuais

Sindicato dos Jornalistas do AM apresenta demandas sobre segurança na cobertura jornalística da Amazônia

Da Revista Cenarium*

MANAUS — O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Amazonas (SJP/AM), Wilson Reis, e donos de portais de notícias participaram nessa terça-feira, 14, de uma reunião com o superintendente regional substituto da Polícia Federal (PF) Thiago Hauptmann Borelli, na sede da instituição, situada na Zona Centro-Oeste de Manaus, para tratar sobre a importância da atuação dos jornalistas e a segurança na cobertura jornalística na Amazônia.

Hauptmann foi quem recebeu os jornalistas, tendo em vista que o superintendente da PF/AM, Eduardo Alexandre Fontes, está voltado às investigações do caso envolvendo os desaparecimentos do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, no último dia 5, no Vale do Javari, município de Atalaia do Norte (a 1.136 quilômetros de Manaus).

Sindicato alerta

“Os desaparecimentos do jornalista e do indigenista, no Vale do Javari, devem acender um alerta às instituições policiais e órgãos de controle sobre a garantia ao trabalho dos profissionais de imprensa e sua importância no contexto social de cobertura jornalística na Amazônia”, afirma Wilson Reis.

Da esquerda para direita, Audrey Bezerra, Wilson Reis, Thiago Hauptmann Borelli, Paula Litaiff, Christian Naranjo e Liliane Araújo (Ricardo Oliveira)

Além do presidente do Sindicato dos Jornalistas no Amazonas, participaram da reunião a diretora da Revista CENARIUM, jornalista Paula Litaiff, o advogado da CENARIUM, Christian Naranjo, a diretora do Portal Dia a Dia, jornalista Audrey Bezerra, e a diretora da Agência Factual, jornalista Liliane Araújo.

Receptividade

Wilson Reis agradeceu a receptividade do delegado federal Thiago Hauptmann em escutar as demandas e preocupações da categoria apresentada pelo Sindicato dos Jornalistas no Amazonas, entidade vinculada à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Na ocasião, o presidente Wilson Reis falou ainda sobre o Selo de Jornalismo Profissional.

“O apoio dos órgãos estratégicos de segurança, como a PF, ao trabalho profissional da imprensa, fortalece a democracia e o bom jornalismo que trabalha com base aos fatos e o direito da sociedade em ser bem informada”, declarou Reis.

Da esquerda para direita, Audrey Bezerra, Wilson Reis, Thiago Hauptmann Borelli, Paula Litaiff, Christian Naranjo e Liliane Araújo (Ricardo Oliveira)

Qualidade

A proposta do Selo de Jornalismo Profissional é o de se estabelecer como uma ferramenta de combate às fake news e à desinformação, auxiliando as empresas credenciadas e jornalistas profissionais na produção de notícias com bases éticas, qualidade e de interesse público.

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff tem especialização em Gestão de Políticas Sociais e, atualmente, é diretora executiva da Agência e Revista Cenarium. Há 16 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Produziu matérias para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff tem especialização em Gestão de Políticas Sociais e, atualmente, é diretora executiva da Agência e Revista Cenarium. Há 16 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Produziu matérias para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)