Paula Litaiff

‘Precisamos de democracia, diálogo, tolerância e paz’, declara Lula após morte de tesoureiro do PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em ato com apoiadores em Diadema, São Paulo (Marlene Bergamo/FolhaPress)

Ívina Garcia – Da Revista Cenarium

MANAUS – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lamentou por meio das redes sociais a morte do tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, Marcelo Arruda, morto pelo agente penitenciário e apoiador do presidente Bolsonaro José da Rocha Guaranho enquanto comemorava o aniversário de 50 anos com a família e amigos, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

“Filiado ao Partido dos Trabalhadores, sua festa de aniversário tinha como tema o PT e a esperança no futuro; com a alegria de um pai que acabou de ter mais uma filha. Uma pessoa, por intolerância, ameaçou e depois atirou nele, que se defendeu e evitou uma tragédia ainda maior”, escreveu. O pré-candidato à Presidência também prestou condolências à família do atirador.

“Também peço compreensão e solidariedade com os familiares de José da Rocha Guaranho que perderam um pai e um marido para um discurso de ódio estimulado por um presidente irresponsável. Pelos relatos que tenho, ele não ouviu os apelos de sua família para que seguisse com a sua vida. Precisamos de democracia, diálogo, tolerância e paz”, finalizou.

Outros pré-candidatos à Presidência também lamentaram o ocorrido. Ciro Gomes (PDT) classificou a ação como “tragédia humana e política” e escreveu: “O ódio político precisa ser contido para evitar que tenhamos uma tragédia de proporções gigantescas. Que Deus, na sua misericórdia, interceda em favor de nós brasileiros, pacificando nossas almas, e traga conforto as duas famílias destruídas nesta guerra absurda, sem sentido e sem propósito”.

Simone Tebet (MDB) teceu críticas quanto à polarização política e avaliou como ameaça à sociedade: “Esse tipo de conflito nos ameaça enormemente como sociedade. É contra isso que luto e continuarei lutando. Tenho certeza que nós, brasileiros, temos todas as condições de encontrar um caminho de paz, harmonia, respeito, amor e dignidade humana suficientemente sólido para reconstruir o Brasil. Que o caso de Foz do Iguaçu faça soar o alerta definitivo. Não podemos admitir demonstrações de intolerância, ódio e violência política”, escreveu.

“Inadmissível”, avaliou o pré-candidato pelo União Brasil, Luciano Bivar:

“O vergonhoso silêncio de Bolsonaro só piora a situação”, aponta Felipe D’avila pré-candidato pelo Avante.

Conhecido por incitar a violência, o atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PL), ainda não se pronunciou sobre a violência cometida por um de seus apoiadores que invadiu a festa gritando “Bolsonaro” e “mito”.

Violência

Em 2018, durante campanha eleitoral, Bolsonaro incitou violência contra membros do Partido dos Trabalhadores (PT) durante evento no Acre. “Vamos fuzilar a petralhada aqui do Acre, hein? Vamos botar esses picaretas para correr do Acre. Já que eles gostam tanto da Venezuela, essa turma tem de ir para lá. Só que lá não tem nem mortadela, hein, galera? Vão ter de comer é capim mesmo”. Na ocasião, a assessoria do então candidato à Presidência, à época, classificou a atitude como sendo “uma brincadeira, como sempre”.

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)