Paula Litaiff

Morte de líder de facção pela PM-AM desencadeou ataques violentos em Manaus

A morte de "Dadinho" foi confirmada como o estopim da onda de crimes em Manaus (Reprodução/Internet)
Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – A onda de ataques em Manaus na noite de sábado, 5, e madrugada deste domingo, 6, teria sido desencadeada pela morte de um traficante conhecido como “Dadinho”. A informação foi confirmada pelo secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, que afirmou ainda que a ordem para os ataques partiu de dentro de um presídio.

Um gabinete de crise, formado pela Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros alinha, neste momento, outras ações que serão tomadas. Informações dão conta de que 17 veículos foram incendiados, sendo 7 ônibus. Ninguém ficou ferido nas ações, porém uma ambulância foi atacada por criminosos e os ocupantes foram roubados.

No interior do Estado, criminosos tentaram atear fogo em delegacias nos municípios de Careiro Castanho e Parintins. “Em todos os locais está sendo reforçado o policiamento”, destacou o secretário de Segurança Pública.

“A polícia será extremamente rigorosa contra essas pessoas. Nós estamos triplicando o número de viaturas, dando garantia, inclusive, aos prédios públicos, também de maneira que não haverá necessidade da população deixar de ir para a rua fazer o que tiver que fazer. Nós estamos reforçando todos os corredores de ônibus de toda a cidade, triplicando o número de viaturas não só na capital como na região metropolitana”, afirmou Bonates.

Os ataques ocorreram principalmente na zona Norte, Leste e alguns na Compensa, zona Oeste, mas há relatos de incêndio nos bairros Flores e Parque das Nações, na zona Centro-Sul.

Motivação

Identificado como Erick Batista Costa, o “Dadinho”, 30, morreu após confronto com policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) na noite desse sábado no bairro Novo Aleixo, zona Norte de Manaus.

Sobre a ordem para os ataques, Bonates confirmou que o setor de inteligência estadual já identificou que partiu de dentro de um presídio. “Isso foi motivado em razão da morte de um traficante conhecido como Dadinho. A inteligência levantou que essa determinação veio de dentro do presídio. Eu quero informar a eles que, quem for localizado dando essa ordem, será solicitado a transferência dele para presídio federal”, pontuou o secretário.

Vandalismo

O  Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) divulgou nota de repúdio contra o que considera “atos de vandalismo ocorridos nas primeiras horas deste domingo”.

“A violência das ações, aparentemente de caráter terrorista, causou pânico nos operadores do serviço, pois há relatos de grupos encapuzados e armados praticando tais atos, sendo que, por isso, toda a frota foi recolhida. Atos dessa natureza, além de serem crimes de dano e ilícitos civis, visam disseminar o medo e inviabilizam o serviço essencial”, diz trecho da publicação.

Por conta do cenário, o serviço de transporte coletivo foi interrompido e de acordo com a nota, “os maiores prejudicados são os usuários do transporte coletivo e os trabalhadores do sistema de transporte, cujas vidas estão em risco. Por fim, pedimos às autoridades públicas competentes imediatas e urgentes providências para a identificação dos criminosos e para a cessação da onda de violência, a fim de que seja viabilizada a normalização do serviço”, finaliza.

‘Coisa de filme’

À CENARIUM, uma moradora do bairro Compensa, que não quis se identificar, relatou os acontecimentos presenciados. “Nós não podemos dar muitos detalhes, porque a gente mora aqui e a lei do crime pune, mas a gritaria foi grande. Parecia coisa de filme ouvir as palavras de ódio deles e o fogo nos carros. Achava que iriam colocar fogo nas casas”, disse a moradora.

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)