Paula Litaiff

Estilista Tikuna transforma passarela em aldeia durante desfile na Brasil Eco Fashion Week em SP

Weena Tikuna e seus modelos na passarela do Brasil Eco Fashion, em mais um evento onde a cultura indígena se firma e reafirma (Reprodução/Redes Sociais)
Mencius Melo – Da Revista Cenarium

MANAUS – A cantora e agora estilista Weena Tikuna lançou durante a Brasil Eco Fashion Week (BEFW), que aconteceu entre os dias 1° e 3 de dezembro, no Senac Lapa Faustolo, em São Paulo, a coleção “Worecü – O Ritual da Moça Nova”. O desfile teve um forte componente de afirmação da cultura milenar do povo Tikuna. Na passarela, Weena utilizou treze figurinos confeccionados especialmente para o desfile.

A ativista Txai Suruí participou do desfile orquestrado pela estilista Weena Tikuna na passarela do BEFW (Reprodução/Redes Sociais)

Para a indígena, artista e ativista, o desfile foi inesquecível. “Foi um momento histórico, não só para mim, mas para a nossa cultura indígena. Nossa arte ancestral pode ocupar todos os espaços. Somos capazes!“, triunfou Weena Tikuna. Em suas redes, ela agradeceu. “Quero aqui agradecer a todos que estiveram comigo nesta conquista, direta e indiretamente. Gostaria de dedicar esta conquista a todos vocês: primeiramente a nós, povos indígenas do Brasil. O meu povo indígena Tikuna, porque minha arte é a arte do meu povo“, destacou.

De acordo com Weena Tikuna, a coleção criada por ela vem das profundas raízes culturais do povo que habita o Oeste do Estado do Amazonas, entre os municípios de Tabatinga e São Paulo de Olivença. “‘Worecü’ é o ritual de passagem feminino e nele se destacam a força do sagrado e as práticas artísticas do povo Tikuna, como as pinturas, os mascarados feitos de tururi e os cantos das anciãs“, descreveu a estilista.

Yonne Tikuna é uma modelo de origem Tikuna e também abrilhantou o desfile criado por Weena Tikuna para o BEFW (Reprodução/Redes Sociais)

Materiais e simbolismos

Ainda segundo Weena, os materiais aplicados na confecção das peças que foram à passarela do Senac Lapa, em São Paulo, são os recursos naturais que vêm da Floresta Amazônica. São produtos que há muito fazem parte da vida do povo Tikuna. “Nas peças, trazemos o tururi, a matéria principal, fibra de algodão orgânico e linho. O vermelho vem expressando o sangue, a ‘cor da moça nova’“, descreveu.

Para a passarela do BEFW, Weena escalou um time identificado com a arte exposta nas peças. “Abrindo o desfile, trouxemos da comunidade indígena Wotchimaücü, a modelo indígena Yonne Tikuna. A apresentação musical foi feita por minha irmã Djuena Tikuna acompanhada pelo meu cunhado Diego Janatã. Na percussão e no violino, meu marido Anton Carballo da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB)”, elencou.

Ao final do desfile, Weena reuniu seu “povo” para agradecer o sucesso da coleção ‘Worecü – O Ritual da Moça Nova’, no BEFW (Reprodução/Redes Sociais)

Sobre o BEFW

O Brasil Eco Fashion Week (BEFW) é um evento anual que promove as boas práticas de sustentabilidade no mercado e indústria da moda brasileira, reunindo conteúdos educativos e inspiracionais, desfiles, salão de negócios, exposições e atividades de empreendedorismo. O evento é realizado, consecutivamente, desde 2017 e já faz parte do calendário oficial da moda brasileira.

Também definido como uma semana de moda e plataforma digital, o evento agrega cerca de 120 colaboradores somados a dezenas de empresas envolvidas no patrocínio, apoio e realização das edições. O BEFW se estabeleceu em São Paulo, recebendo empreendedores, profissionais, estudantes e consumidores de todas as regiões do Brasil conectados ao propósito de utilizar a moda como uma rede positiva e uma ferramenta de transformação.

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.