Paula Litaiff

Em evento da XP, Paulo Guedes palestra sobre ‘Caminhos do Crescimento’ e faz balanço de gestão

Guedes pontuou os avanços econômicos do Brasil, afirmou acreditar no crescimento do PIB e declarou que pretende zerar o IPI (Reprodução)

Ívina Garcia – Da Revista Cenarium

SÃO PAULO – Em um dos maiores eventos de investimentos do Brasil, o ministro da Economia, Paulo Guedes, palestrou sobre “Reformas estruturais e o caminho para o crescimento”, fez um balanço de sua gestão no governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) e prometeu zerar o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), sem excepcionalizar a Zona Franca de Manaus (ZFM), modelo econômico que já concede o incentivo tributário e é responsável por manter a preservação de 95% das florestas na Amazônia.

O ministro palestrou no “Expert 2022 – O futuro pelo olhar de quem transforma”, organizado pela XP Investimentos, em São Paulo, nesta quarta-feira, 3, onde contou com a participação de analistas econômicos e empreendedores do todo o País. A REVISTA CENARIUM e outro veículo de comunicação do Amazonas foram convidados pela XP Investimentos para participar do evento.

Paulo Guedes iniciou a sua fala justificando que a inflação e o recuo no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), nos últimos dois anos, ocorreram por conta da pandemia, cujos ápices foram registrados nos primeiros trimestres de 2020 e 2021, quando o comércio de produtos e serviços essenciais foram fechados. Para ele, hoje, a situação econômica do País está estabilizada. “A inflação que sofremos antes, países da Europa estão sofrendo agora”, explicou na palestra.

No cenário de recessão global, o ministro defendeu que o Brasil está no início de crescimento econômico e vai decolar e crescer acima das previsões atuais, em 2023, em grande parte, em função da redução de tributos em curso e aos marcos regulatórios aprovados pelo atual governo, como o do saneamento, das falências, dos aeroportos, das ferrovias e do 5G, que garantem R$ 890 bilhões.

A inflação brasileira está descendo, o desemprego está descendo e a economia está gerando empregos. O Brasil está condenado a crescer. Temos R$ 890 bilhões em investimentos já contratados para 10 anos, R$ 14 milhões desde o ‘fundo do poço’ até hoje. Enquanto, no resto do mundo, a gente vê a inflação subir, o desemprego aumentando e o crescimento sendo revisto para baixo“, afirma o ministro.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referentes ao primeiro trimestre de 2022, o desemprego caiu para 9,8%. Nos anos anteriores, estava acima dos 10%. Analistas consultados pela CENARIUM entendem que o resultado de baixa no número de desempregos com registro em carteira está ligado ao aumento da informalidade que não é registrada pelo instituto.

O quantitativo de pessoas empregadas no setor privado, sem carteira assinada, cresceu 23,6% em 12 meses. No setor público, o crescimento de trabalhadores sem os direitos assegurados pelas leis trabalhistas foi de 25% no mesmo período. O número de autônomos subiu 6,4% e o de empregados sem CNPJ aumentou 29,4%.

Em sua palestra sobre caminhos de crescimento, Paulo Guedes defendeu que o Brasil está no rumo certo. “O desemprego já está abaixo de quando a Covid-19 chegou. Nós abrimos 338 mil empresas, no mês passado, a arrecadação continua batendo recorde. O Brasil está no início de um ciclo longo que nós chamamos de ‘longo ciclo de crescimento”‘.

Palestra de Paulo Guedes foi mediada pelo sócio-diretor da XP, Rafael Furlanetti, economista-chefe da XP, Caio Megale, e pela jornalista Junia Gama (XP Investimentos)

Teto e impostos

Segundo Guedes, o País possui uma situação fiscal “forte e equilibrada“. O ministro fez críticas em relação às acusações de “populismo fiscal” do governo federal. “Passaram o ano passado inteiro dizendo: populismo fiscal, populismo fiscal. Chegou no fim do ano, o primeiro superávit desde 2013. Cadê o populismo fiscal? Onde é que está o populismo fiscal de um governo que, pela primeira vez, desde 2013, gera um superávit?“, questionou Guedes.

Durante o evento, o ministro também citou a “violação de teto de gastos“, que segundo ele, aconteceu para auxiliar as famílias mais necessitadas durante a pandemia de Covid-19 e, também, dos impactos econômicos causados pela guerra entre Ucrânia e Rússia.

Sim, nós violamos o teto. O teto é para impedir o crescimento do governo. Nós somos liberais, nós queremos reduzir o peso do governo. Então, o teto é para não deixar subir o governo. Aí chega uma doença, eu tenho que transferir dinheiro para as pessoas. Eu estou fazendo o governo crescer? Não. Eu estou dando um auxílio para os mais frágeis, enquanto a doença está aí, ou enquanto a guerra da Ucrânia está aí, de forma que eles possam sobreviver“, declarou.

Ainda no evento da XP, Guedes analisou os resultados de redução de impostos, como o Imposto sobre Circulação de Serviços (ICMS) – com a mudança na legislação federal, o IPI e os impactos na arrecadação. “Olha o que está acontecendo, a economia voando e a arrecadação. Eu chegando aqui, hoje, primeira notícia: de novo o recorde de arrecadação: 9% acima do previsto para julho. Quando você simplifica e reduz os impostos, a economia sai voando e a arrecadação aumenta”, apontou.

Paulo Guedes fala sobre desenvolvimento econômico em evento de investimentos (Reprodução/XP Investimentos)

IPI e a ZFM

O ministro afirmou que o grande objetivo do governo federal é reindustrializar o Brasil e para isso será necessário zerar o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). “Vamos zerar o IPI, o IPI destruiu o Brasil“, declarou o ministro sem fazer excepcionalidade da Zona Franca de Manaus (ZFM).

A ZFM é um modelo econômico, com redução de impostos como o IPI, implantado no Amazonas na década de 1970 para fomentar o desenvolvimento da Amazônia e manter a preservação das florestas que, hoje, tem 95% da região preservada, além de garantir a presença do Estado. Atualmente, as empresas empregam mais de 100 mil pessoas e entregam, anualmente, R$ 15 bilhões em arrecadação ao governo federal.

Nós vamos reindustrializar o Brasil acabando com o IPI de um lado, que é o imposto que industrializou o Brasil, e de outro lado com energia barata produzida com solar e eólica. Nós vamos dobrar e vamos chegar a 30% de energia eólica e solar. Qualquer coisa que se fizer, no Brasil, tem menos emissão de carbono do que em qualquer lugar do mundo”, afirmou o ministro.

A palestra de Paulo Guedes foi mediada pela jornalista Junia Gama, o sócio-diretor da XP Investimentos Rafael Furlanetti e o economista-chefe da XP Investimentos, Caio Megale.

Expert 2022

Com mais de 35 horas de conteúdo e uma expectativa de público de 30 mil pessoas, no “São Paulo Expo” e outra 1 milhão nas plataformas digitais, durante os dois dias, o evento de investimentos “Expert XP 2022” começou nesta quarta-feira, 3, e vai até o dia 4 de agosto.

Com diferentes trilhas passando por investimentos, empreendedorismo, tecnologia, ESG e inovação, a Expert XP nasceu em 2011 e foi realizada de forma presencial, até 2019, quando precisou se tornar on-line por conta da pandemia.

Dentre os convidados estão a tenista Serena Williams, Amy Webb (futurista americana, autora, fundadora e CEO do Future Today Institute), Lawrence H. Summers (ex-secretário do Tesouro dos Estados Unidos), Howard Marks (sócio-fundador e co-chairman da Oaktree Capital Management), Nathalia Arcuri (especialista em finanças, fundadora e CEO da Me Poupe!), Thiago Nigro, (CEO e fundador do Grupo Primo e idealizador de O Primo Rico, um dos maiores projetos de comunicação sobre finanças do País) e Edu Lyra (fundador e CEO da Gerando Falcões).

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)