Paula Litaiff
Este é o primeiro ano que o Tribunal Superior Eleitoral coleta dados sobre pessoas com deficiência que se candidatam para participar das eleições em nível federal (Reprodução/Internet)
#Factuais

Eleições 2022: TSE registra 451 candidaturas de pessoas com deficiência no Brasil

Este é o primeiro ano que o Tribunal Superior Eleitoral coleta dados sobre pessoas com deficiência que se candidatam para participar das eleições em nível federal (Reprodução/Internet)
Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – O Brasil tem 451 pessoas com deficiência disputando as eleições deste ano. O quantitativo está disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que aponta o número geral de candidatas e candidatos que declararam possuir algum tipo de deficiência. Dentre as deficiências declaradas pelos participantes do pleito estão a física, com 247 registros, a visual, com 110, a auditiva, com 55, o autismo, com 13 e outras 40 não informadas.

Segundo o TSE, do total apresentado, 293 são do gênero masculino e 158 do gênero feminino. Pretos e pardos somam 240 candidaturas, indígenas, apenas, quatro, seguidos de dois declarados amarelos. Entre os candidatos brancos com deficiência declarada, o órgão informa 205 registros. O PSB, PT e PL foram os partidos com mais candidatos registrados, sendo 44, 31 e 30 respectivamente.

Quantitativo de candidatos com deficiência, segundo o TSE (Reprodução/TSE)

Com 60,09%, o cargo mais disputado é de deputado estadual, com 271 candidatos. Pouco mais de 33% ficam para deputado federal, com 155 registros. Em menor escala aparece o cargo para governo, com quatro registros, vice-governador, com dois, senador, com dois, e vice-presidente, com apenas um concorrente com deficiência no pleito deste ano. Entre esses dados, 11 candidatos tentam a reeleição.

Este é o primeiro ano que o Tribunal Superior Eleitoral coleta dados sobre pessoas com deficiência que se candidatam para participar das eleições em nível federal. O TSE deu start à coleta, nas últimas eleições ocorridas em 2020, quando as disputas eram em esferas municipais.

Eleitores e Região Norte

Ainda de acordo com o TSE, há, no País, 1.271.381 eleitores declarados com deficiência. Desse total, 427.729 são voltados à locomoção, 186.647 deficiência visual, 111.813 pessoas declararam possuir deficiência auditiva, 62.510 afirmaram ainda ter dificuldade para o exercício do voto. Outras 614.911 não foram declaradas, porém, não informadas as especificidades.

Quando se trata da Região Norte, o total de eleitores declarados com algum tipo de deficiência chega a 106.202, pessoas. O Pará vem na frente, com 59.022 pessoas declaradas com deficiência aptas a votar. O Amazonas aparece em segundo lugar, com 16.105 votantes PcD’s. Desse total, 39,95%, o que vale a 7. 481 pessoas não especificaram qual a deficiência que apresentam.  

Dados de eleitores com deficiência, segundo o TSE (Reprodução/TSE)

A deficiência locomotiva no Estado do Amazonas foi registrada por 5.275 eleitores, ou seja, 28,17%. A deficiência visual também foi alegada por 3.498 dos votantes, a auditiva aparece em seguida, com 2.094 declarações, fechando com 378 registros que alegam ter dificuldades para o exercício do voto.

Tocantins apresentou, neste ano, 10.803 eleitores com deficiência, Rondônia, com 10.581 registros. O Amapá apresenta 3.818 eleitores PcD’s declarados. O Estado do Acre, vem com 3.099 pessoas com deficiência aptas a votar. Roraima é o Estado que apresenta menor número de eleitores declarados com algum tipo de deficiência, são 2.774 votantes, segundo informado pelo TSE.

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff tem especialização em Gestão de Políticas Sociais e, atualmente, é diretora executiva da Agência e Revista Cenarium. Há 16 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Produziu matérias para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff tem especialização em Gestão de Políticas Sociais e, atualmente, é diretora executiva da Agência e Revista Cenarium. Há 16 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Produziu matérias para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)