Paula Litaiff

Denúncia sobre Bolsonaro por crime contra a humanidade é recebida no Tribunal de Haia

Capa da REVISTA CENARIUM do mês de outubro/2021

Eduardo Figueiredo – Da Revista Cenarium

MANAUS — O Tribunal Penal Internacional (TPI) — criado para julgar pessoas que cometem crimes de alcance internacional — com sede em Haia, na Holanda, recebeu nessa quarta-feira, 9, o relatório da CPI da pandemia, que investigou durante seis meses a atuação do governo federal no combate à pandemia e acusa o presidente da República Jair Bolsonaro de crimes contra a humanidade. A CENARIUM adiantou, em capa de revista do mês de outubro/2021, as razões que levariam o presidente a ser julgado por atitudes tão graves, como explicamos mais abaixo.

A denúncia, baseada no relatório final enviado pela cúpula da CPI, aponta nove crimes cometidos por Jair Bolsonaro: prevaricação, charlatanismo, epidemia com resultado de morte, infração a medidas sanitárias preventivas, emprego irregular de verba pública, incitação ao crime, falsificação de documentos particulares, crime de responsabilidade e crimes contra a humanidade.

O presidente da CPI da Covid-19, senador amazonense Omar Aziz, confirmou que o relatório final foi aceito pelo Tribunal Penal Internacional e destacou que a partir de agora os procedimentos são sigilosos. “Mas apresentamos indícios de cometimento de nove crimes pelo presidente Jair Bolsonaro”, afirmou Aziz em uma rede social.

Texto publicado pelo senador Omar Aziz em seu perfil no Instagram (Reprodução/Instagram)

O senador Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI da pandemia, comemorou a aceitação do relatório final. “É mais um passo fundamental no combate à impunidade. O nosso trabalho continua e não iremos descansar até que a JUSTIÇA seja feita”, escreveu o senador em uma publicação no Instagram.

Vice-presidente da CPI da pandemia, Randolfe Rodrigues comemorou o recebimento do relatório pelo PTI (Reprodução/Instagram)

Capa de outubro
Na edição de outubro de 2021, a capa da REVISTA CENARIUM, intitulada “O presidente no Tribunal de Haia”, adiantou que, por experimentos realizados na Amazônia com o uso do chamado “Kit Covid” para tratamento do vírus, havia a possibilidade do presidente Jair Bolsonaro virar réu no Tribunal Internacional de Haia.

Capa da REVISTA CENARIUM do mês de outubro/2021

À época, o texto publicado pela CENARIUM destaca que, em setembro de 2021, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia permitiu uma abertura para investigação e descobriu que o uso do remédio, na verdade, não era só uma questão ideológica, mas, acima de tudo, econômica.

O medicamento tão defendido por Bolsonaro e seus aliados, segundo a CPI, faz parte de um acordo do governo federal com empresários.

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.


«

Comentários para este post estão fechados

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff é diretora executiva da Revista Cenarium e Agência Amazônia, além de compor a bancada do programa de Rádio/TV “Boa Noite, Amazônia!”. Há 17 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Escreveu para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo com pautas sobre Amazônia. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)