#Factuais

CENARIUM participa de debate sobre desenvolvimento da Amazônia

Painel de debate "Cidades para quem?" no evento Amazônia Reset. (Ana Pastana/ Cenarium)

Victória Sales – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com transmissão pelo Youtube, a CENARIUM participou de um debate sobre desenvolvimento da Amazônia com perspectiva em transformações no século atual em áreas ambiental, social e econômica. O evento, produzido pela Global Shapers, aconteceu nos dias 19 e 20 de novembro e contou com a participação da diretora-executiva da agência, jornalista Paula Litaiff.

“Se nós quisermos contribuir com o aperfeiçoamento da gestão dos recursos públicos seja na Amazônia ou no Brasil, o debate de ideias sempre será o caminho. Parabenizou a organização Global xx por reunir representantes do Executivo, Parlamento e da imprensa no Amazônia Reset. Que iniciativa como essas permaneçam”, explicou a diretora.

Painéis
No segundo e último dia de evento, aconteceram debates com os seguintes painéis: “Cidades para quem?”, “Turismo na Amazônia” e “Futuro da Economia no Amazonas”. A CENARIUM participou do primeiro painel, juntamente com o vereador Amom Mandel (sem partido) e o secretário municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação, Radyr Júnior.

O painel “Cidades para quem?” teve como objetivo discutir as principais atuações na cidade de Manaus. Questionada sobre a dificuldade de levar informações em tempos da pandemia da Covid-19, e como lidar com o aumento das fake news, Paula relembra que a CENARIUM foi lançada, inclusive, no período do pico de casos, internações e mortes pela doença.

A diretora destaca que, a partir de relatos do que era vivenciado nas ruas, passava a ser reportado para os três canais de comunicação da CENARIUM que são: impresso, online e TV Web. “A partir desse trabalho, surgiu uma proposta para veicular em nível nacional o que acontecia em Manaus. Com isso, os problemas de Manaus não ficam somente em Manaus, isso também faz com que ascenda um alerta às autoridades para que sejam tomadas atitudes necessárias”, salientou.

Painel de debate “Cidades para quem?” no evento Amazônia Reset. (Reprodução/ Internet)

Já no painel “Turismo na Amazônia”, o objetivo foi trazer um debate sobre a manutenção do turismo e de parcerias em meio à pandemia. A professora e mestranda de ensino tecnológico, Marcia Rebeca, destacou que, de imediato, não houve uma manutenção, pois quando se fala do turismo, na maioria das vezes, são pessoas empreendedoras, mas não, são pessoas trabalhadoras do setor. São pessoas que têm uma visão de futuro, de poupar, então não são pessoas que de imediato ficaram completamente sem renda.

“A manutenção foi feita com a força e a união do terceiro setor que agiu para levar o alimento, de fato, para essas pessoas, pois elas não têm essa perspectiva de empreender e é algo perceptível e que falta um pouco no setor de turismo essa visão de que a pessoa se vê como um trabalhador e que ela está ali só para ganhar o sustento naquele momento e passe a pensar que ela tem uma perspectiva de futuro”, destacou Marcia.

Painel “Turismo na Amazônia” no evento Amazônia Reset. (Reprodução/ Internet)

No painel “Futuro da Economia no Amazonas”, o debate esteve à frente da economia como impacto na vida do amazonense e que de alguma maneira possa atrair pessoas de fora para a região. A discursão girou em torno da Zona Franca de Manaus (ZFM) que em alguns anos vem trazendo discursões relacionadas à diversificação da matriz econômica e de que forma ela é potencializada em outros segmentos.

Ao ser indagada sobre a economia do Amazonas, levando em consideração toda discursão em relação à diversificação de matrizes econômicas, o economista Armando do Valle ressalta que, quando olha para o futuro não vê Manaus e ZFM sem indústria. “Quando eu ouço falar em novas matrizes, eu aceito a conversa, mas zerar 100 mil empregos básicos é muito difícil nos demais segmentos”, explicou.

Painel “Futuro da Economia ” no evento Amazônia Reset (Reprodução/Internet)

Amazônia Reset
O projeto Amazônia Reset tem como foco principal alinhar estudiosos de diversas áreas e de diferentes regiões do Brasil com pessoas que estão lidando diariamente com o tema debatido. Por meio de mesas-redondas, o evento espera trazer voz para a juventude amazônida, além de trazer debates fundamentais para o desenvolvimento da Amazônia, com especialistas ligados diretamente. Cada painel no evento contou com a duração de uma hora.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff tem especialização em Gestão de Políticas Sociais e, atualmente, é diretora executiva da Agência e Revista Cenarium. Há 16 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Produziu matérias para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)