Boa Noite, Amazônia

Boa noite, Amazônia: debate sobre cenário político para 2022 é destaque no programa desta sexta-feira, 10

Foto: Gabriella Lira

Por Gabriella Lira

MANAUS – No episódio do Programa ‘Boa noite, Amazônia’, que foi ao ar nesta sexta-feira, 10, na Rádio Onda Digital (92.3), os jornalistas Paula Litaiff e Álvaro Corado receberam o cientista político Carlos Santiago e debateram sobre o cenário político para 2022, como estará o Amazonas e o Brasil em um ano eleitoral. 

Durante o debate, a jornalista e apresentadora Paula Litaiff comenta sobre o Bolsa Família, que é um programa da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc), que contribui para o combate à pobreza e à desigualdade no Brasil. Em novembro de 2022, o Governo Federal anunciou um novo programa de distribuição de renda, o Auxílio Brasil, que substitui o Bolsa Família, extinto após 18 anos de existência. 

“Ele era também uma forma de controle de crianças carentes na escola, porque você vai receber, mas você vai me dar a contrapartida que seu filho vai estar na escola. E a partir do momento que você passa a ganhar um pouco mais, você deixa de ser dependente desse benefício e vai dar a vez para outro”, comenta a jornalista. Assista o vídeo.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff tem especialização em Gestão de Políticas Sociais e, atualmente, é diretora executiva da Agência e Revista Cenarium. Há 16 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Produziu matérias para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)