Boa Noite, Amazônia

Ação judicial que pede cancelamento do Réveillon e Carnaval em Manaus é debate no programa ‘Boa noite, Amazônia’

Foto: Gabriella Lira

De Gabriella Lira

MANAUS – No episódio do Programa ‘Boa noite, Amazônia’, que foi ao ar nesta quarta-feira, 01, na Rádio Onda Digital (92.3), os jornalistas Paula Litaiff e Álvaro Corado receberam o Vereador Rodrigo Guedes (PSC) e debateram sobre a ação judicial que pede o cancelamento de festas de fim de ano e Carnaval em Manaus. O assunto gerou discussão na Câmara Municipal de Manaus (CMM), nesta segunda-feira (29). 

A jornalista e apresentadora, Paula Litaiff comenta a postura do atual prefeito David Almeida (Avante) perante a imprensa e a falta de transparência durante seu mandato.  “Eu preciso destacar aqui que essa questão da falta de transparência no site da prefeitura de Manaus se reflete também na imprensa, por exemplo, David Almeida não gosta de ser confrontado em uma coletiva de imprensa quando ele é questiona sobre determinados valores de contratos públicos, ele não gosta, ele agride verbalmente o repórter ou a repórter que pergunta dele”, comenta Litaiff. Assista o vídeo. 



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

*

*

A AUTORA

Graduada em Jornalismo, Paula Litaiff tem especialização em Gestão de Políticas Sociais e, atualmente, é diretora executiva da Agência e Revista Cenarium. Há 16 anos, atua no Jornalismo de Dados, em Reportagens Investigativas e debate de temas sociais. Produziu matérias para veículos de comunicação nacional, como Jornal Estado de S. Paulo e Jornal O Globo. Seu trabalho jornalístico contribuiu na produção do documentário Killer Ratings da Netflix.

Paula Litaiff é Diretora de Redação em

O SITE

O Site da Paula Litaiff tem como principal finalidade a emissão de opinião sobre diversos temas sociais, políticos e econômicos, levando o leitor à reflexão sobre a importância de se tornar um agente transformador da sociedade.


Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou, sabe. Perigo de mexer no que está oculto – e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso…

(in Um Sopro de Vida | CLARICE LISPECTOR)